Catedral São João Batista - Rio do Sul/SC

Brasão de Armas da Diocese de Rio do Sul

 


 

 

 

Descrição heráldica: Escudo português, cortado. 1º) De sinople, com dois anéis entrelaçados, de ouro. 2º) De goles, com um braço de sua cor natural, movente do flanco destro do escudo, segurando uma concha de ouro com água escorrendo, de blau. Partido de púrpura, com uma flor de lis de ouro. Brocante sobre os traços do cortado e do partido uma faxa-pala ondada de blau. O todo encimado por uma mitra, de branco forrada de vermelho. Listel de prata com a legenda “Diocese de Rio do Sul” de negro. O todo brocante sobre uma cruz de ouro e um báculo do mesmo, passados em aspa.

 

Descrição simbólica: Os anéis de ouro entrelaçados lembram um antigo nome dado à cidade, presente na memória de muitos: Bela Aliança. O fundo verde, além de representar a esperança, simboliza a realidade agrícola, que é a base da economia e do sustento das famílias da Diocese. A mão segurando uma concha batismal despejando um pouco de água simboliza o padroeiro da Diocese, São João Batista. O campo em vermelho procura representar o martírio de São João Batista e também a alegria do povo diocesano. A flor de lis de ouro, muito utilizada nos brasões eclesiásticos para simbolizar Maria, quer, no brasão da Diocese de Rio do Sul, representar Nossa Senhora Auxiliadora, cuja imagem encontra-se na Catedral Diocesana e é intensamente venerada. O campo em púrpura simboliza a grandeza, a sabedoria e o amor presentes na Virgem Maria. A faxa e pala ondadas, em azul, e unidas entre si, procuram simbolizar o encontro dos rios existentes na região, os quais inspiraram o nome atual da Diocese: Rio do Sul.

José Valmeci de Souza (Atta)
Palhoça, SC, novembro de 2008